Notícias

Três mil pessoas morrem todos os anos em acidentes de trabalho

Imagem retirada de http://www.portalodia.com/noticias/piaui/tres-mil-pessoas-morrem-todos-os-anos-em-acidentes-de-trabalho-251966.html
Imagem retirada de http://www.portalodia.com/noticias/piaui/tres-mil-pessoas-morrem-todos-os-anos-em-acidentes-de-trabalho-251966.html

Todos os anos, milhares de trabalhadores são vítimas de acidentes de trabalho no Brasil. A grande maioria é causada pela falta de atenção e pelo não uso de equipamentos de proteção, tanto individual quanto coletivo. Por ano, cerca de 410 mil acidentes de trabalho são registrados no País. Desse total, aproximadamente três mil trabalhadores vem a óbito, resultando em um custo de mais de R$ 32 bilhões aos cofres públicos.

Segundo o diretor de imprensa do Sindicato dos Técnicos em Segurança do Trabalho do Piauí (Sintespi), Marcos Martins, esses dados são alarmantes; por isso, a necessidade de se discutir a importância do uso dos equipamentos de segurança e da presença de um profissional da área.

Marcos Martins destaca que algumas recomendações precisam ser seguidas corretamente, de forma a evitar acidentes, tanto leves quanto fatais, sobretudo na área da construção civil, que registra o maior número de casos de acidentes. O profissional afirma que as empresas são obrigadas a contratar um técnico em segurança do trabalho.

“Empresas com mais de 50 funcionários precisam ter um técnico em segurança do trabalho, para que ele possa orientar os trabalhadores e oferecer melhores condições de trabalho e equipamentos. Se a empresa não tiver esse profissional, o Ministério do Trabalho e Emprego é acionado e, caso a empresa insista em não se regularizar, poderá sofrer sanções”, frisa. Sobre os equipamentos de proteção individual (EPIs), Marcos Martins argumenta que é de fundamental importância que os trabalhadores tenham ciência de que eles foram feitos para evitar acidentes e salvar vidas.

“Têm pessoas que não usam porque dizem que incomoda, mas eles precisam entender que esses equipamentos são para a segurança do trabalhador. Infelizmente, o hábito de não usar é algo que está internalizado, principalmente no Nordeste. A empresa é obrigada a fornecer os equipamentos e, em contrapartida, o colocador é obrigado a utilizar”, ressalta.

O diretor de imprensa do Sintespi enfatiza ainda que muitos casos não são registrados e notificados e lembra que tanto os trabalhadores quanto terceiros podem oferecer denúncia de descumprimento das medidas de proteção. O Comunicado de Acidente de Trabalho (CAT) deve ser feito ao INSS.

Fonte: Jornal O Dia, escrita por Isabela Lopes